terça-feira, 5 de abril de 2011

SOBRE A FRAUDE NA UNICAMP

GOIÂNIA - ANO I - 62


Olá Químicos e Agregados.

A notícia que mexeu como todo o mundo da química na semana passada foi a acusação de fraude em gráficos de RMN em artigos do Cláudio Airoldi da UNICAMP e Denis Guerra da UFMT. 

As acusações giram em torno de prováveis manipulações de dados de ressonância magnética, em estudos sobre as características de certas moléculas. A editora multinacional Elsevier, em cujas revistas saíram as 11 publicações, diz que três cientistas independentes concluíram que os dados teriam sido manipulados.

Funcionou mais ou menos assim: 

1) Um pesquisador, ou vários, não se sabe ainda, escreveu uma carta para a Elsevier, mais especificamente para o Journal of Colloid and Interface Sciences, acusando que 11 publicações continham dados fraudados;

2) A Elsevier nomeou três outros assessores para reavaliarem os trabalhos e eles disseram que haviam indícios de manipulação;

3) Os químicos brasileiros recorreram e apresentaram provas de que, segundo eles, não haviam manipulações nos gráficos;

4) A Elsevier não se pronunciou sobre a resposta dos autores brasileiros.

Quais as conclusões que se podem tirar desse caso?

A primeira: Houve manipulação. Cabe aos órgão competentes onde trabalham cada um dos autores abrir sindicâncias internas e investigar e punir de acordo com a lei.

A segunda: NÃO houve manipulação. Cabe aos órgãos competentes onde trabalham cada um dos autores  abrir sindicâncias internas e investigar o que de fato ocorreu.

Assim, esse blog não se manifesta a favor ou contra os autores até que as investigações terminem e se tenha idéia do que de fato aconteceu. Essa é a postura mais justa e também foi adotada pela SBQ, ou seja, é preciso cautela antes de acusarmos de fatos que estão distantes de terem um fim, pelo menos por enquanto.

Cabe lembrar também que o autor tem cerca de 400 publicações. As investigações estão no início.

Outro fato. O Brasil cresceu muito em termos de publicação no mundo. Infelizmente e não só para ele, podemos estar sendo vítimas de um grupo concorrente. 

Uma fraude é muito difícil de ser provada, além do fato de existir interpretações muito diferenciadas sobre um mesmo resultado, como é comum na ciência. Ademais, os dois primeiros assessores não viram tal manipulação nos resultados. E se são 11 artigos, são pelo menos 11 assessores diferentes, podendo chegar a 22!

Fato outro. A pressão por publicação é enorme. Acaba sempre de alguma forma nos massacrando dentro dos programas de pós graduação. Caso se confirme as fraudes, é um aspecto a ser analisado. Publicação a qualquer preço o que pode levar pesquisadores a publicar cada vez mais, sobre cada vez menos.

Vamos aguardar. Cautela até o fim das investigações.



6 comentários:

  1. Ocorreu um lance semelhante na Ecologia. Só que foi um pesquisador norte americano q publicou dados estranhos e foram os brasileiros que dedaram. Mas é assim msm. Até que provem o contrário eu to com os brasileiros. Bando de gringo #$%@#$! Hehehe

    ResponderExcluir
  2. Sim, por min estou com a justiça, inocente ate que se prove ao contrario! porem e necessário rever o trabalho e decidir! porem acho que seria meio suicídio depois de 400 trabalhos o autor simplesmente arriscar toda a sua vida acadêmica.
    mais uma vez concordo que a publicação de cada vez menos coisas tem ocorrido e tem de ser revisto!

    ResponderExcluir
  3. Concordo que essa pressão por publicação é incomoda mesmo. Nem sempre a quantidade de publicações está diretamente ligado ao conhecimento científico agregado. Infelizmeste o que percebo é que vivemos um tempo em que a quantidade de publicações pesa mais que a qualidade. Será que isso pode mudar ou tá certo desse jeito?

    ResponderExcluir
  4. bando de invejoso vcs nunca terao 400 trabalhos nem mesmo na forma de resumo. seus palhaços. hahhahhahahhahhaha nem eu kakakkakakkakka

    ResponderExcluir
  5. Caros colegas,

    Conheço esse professor há mais de 10 anos e ao longo desse tempo ouço reclamações de alunos dele sobre manipulação de dados por esse sujeito.
    No entanto, agora foi tão descarado que o cara foi pego. Ele simplesmente usou exatamente o mesmo espectro de RMN de Si em inúmeros trabalhos que envolviam compostos diferentes.
    O lance dos 400 trabalhos também não é um dado real pois ele não participou nem da metade dos trabalhos que contém o nome dele. EM boa parte dos artigos, seu nome foi incluído por livre e espontânea pressão dele, sem qualquer participação efetiva nos papers.
    Apenas para concluir, a sindicância do IQ/ UNICAMP confirmou a fraude em um relatório apresentado pela comissão em 04/05/11. Agora o caso foi encaminhado para a Procuradoria da UNICAMP para decisão se será ou não punido por esse desvio de conduta já confirmado pela sindicância.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OLA...VC SABE ONDE PUBLICARAM O PARECER FINAL? OBRIGADO

      Excluir